Sangue na Guelra

< listagem

POP UP com Leandro Carreira

O chef Leandro Carreira regressou a Lisboa para um mergulho profundo na cidade, que o inspirou para a criação de um menu muito alfacinha, servido em dois jantares, a solo, na Cozinha Popular da Mouraria. Exacto: foi um mergulho profundo na cultura e na tradição lisboetas.

O chef chegou a Lisboa uma semana antes, para uma espécie de residência gastronómica na cidade e arredores: visitou mercados e produtores, redescobriu ingredientes e produtos, conheceu pessoas e as suas tradições, inspirou-se… .

Depois de ter sido um dos cabeças de cartaz da primeira edição do Sangue na Guelra, em 2013, e de ter feito um jantar Origens, onde cozinhou a solo e partilhou as suas referências como cozinheiro, Leo aceitou mais este desafio.

 

Não foi um jantar convencional, com todos os erres e esses, com serviço impecável, maitre de sala, guardanapos de algodão egípcio…. Com a assinatura Sangue na Guelra / Amuse Bouche, o melhor é estar-se sempre disposto para mais uma grande experiência completamente “fora da caixa”.

 

O Leo Carreira, um dos grandes talentos da cozinha portuguesa, membro da equipa do Sangue na Guelra, dispensa apresentações. Depois de se ter formado em Portugal, fez-se à estrada. Primeiro, trabalhou vários anos no Mugaritz, em San Sebastian, depois foi o braço-direito de Nuno Mendes, no Viajante, em Londres. E enquanto não abre o seu próprio projecto em Londres, viaja pelo mundo e cozinha nos lugares mais improváveis com os cozinheiros mais incríveis.

 

A Cozinha Popular da Mouraria não é um restaurante. É um espaço aberto a todos os que o queiram utilizar: para festas, workshops, jantares com família e amigos etc. A ideia foi da Adriana Freire, jornalista e fotógrafa, que mora no bairro há 25 anos.

 

O espaço, para além da cozinha, tem duas salas. A uma delas, a Adriana chama-lhe “barracão”… Fez sentido!