Sangue na Guelra

7 E 8 DE ABRIL NO RESTAURANTE A CANTINA DA ESTRELA

Sangue na Guelra 2013

A primeira edição do Sangue na Guelra aconteceu em 2013, durante o Peixe em Lisboa, no restaurante A Cantina da Estrela, nos dias 7 e 8 de Abril.

Download Programação
Cantina da Estrela

João Rodrigues, David Jesus, Matteo Ferrantino, Florian Rühlmann, de Portugal, e Yoji Tokuyoshi e Leandro Carreira, de Itália e Londres respectivamente, apresentaram dois jantares memoráveis, com 11 pratos cada, harmonizados com vinhos José Maria da Fonseca.

Entre as várias propostas dos chefs uma merece um destaque especial: a scarpetta de Yoji Tokuyoshi, que ele harmonizou com Água das Pedras, patrocinador oficial do Sangue na Guelra, em vez de vinho. Servida com toda a delicadeza numa flute de champanhe e não num copo de água, Pedras foi uma escolha que surpreendeu a sala, mas cuja explicação apaixonada de Enrico Vignolli, também da Osteria Francescana, recordou os presentes que é em Portugal que nasce uma das mais raras e melhores águas com gás natural do mundo, que tem conquistado cozinheiros, gastrónomos, sommeliers e críticos de toda a parte.

Na cozinha, juntaram-se dezenas de jovens cozinheiros, profissionais e aprendizes, que simplesmente quiserem estar presentes e ajudar. Alguns deles, a convite da equipa do Sangue, vieram directamente da Escola de Hotelaria  e Turismo de Lisboa (EHTL), com a qual A Cantina da Estrela partilha cozinhas e gabinetes de preparação, uma vez que o restaurante do Hotel da Estrela assenta no conceito restaurante-escola.

O serviço de mesa, quase sempre em segundo plano, foi desenhado e liderado por um convidado muito especial: o Paulo Luz, chefe de sala do Vila Joya, cuja dedicação e profissionalismo são, desde há muito, uma inspiração para nós. Na roda, na sala,  na selecção de vinhos, foi ele o homem do leme. E também aqui se juntaram mais de uma dezena de jovens profissionais: gente do Belcanto, do Feitoria, do Vila Joya e um grupo de estudantes da EHTL – os nossos “sete mangníficos” – a quem foi proporcionado um estágio intensivo de cinco dias com o Paulo Luz no Vila Joya para se prepararem para o Sangue. Durante as duas noites o ambiente, quer na cozinha quer na sala, o entusiasmo e uma alegria contagiantes, foram reveladores da irreverência própria da juventude. Ali, correu muito sangue na guelra…

Paulo Luz

No dia que antecedeu o primeiro jantar, os chefs do Sangue fizeram uma apresentação e um showcooking no auditório, lotado, do Peixe em Lisboa. O tema escolhido foi a Cavala e a apresentação deste mal amado da mesa dos portugueses esteve a cargo de Pedro Bastos, da Nutrifresco, patrocinador exclusivo de peixes e mariscos dos dois jantares, e que relatou à audiência o dia-a-dia deste curioso animal… . A seguir, fizeram-se as mais variadas experiências: cavala fumada, marinada e chá de cavala!

Finalmente, uma palavra para Enrico Vignolli. Faz parte do núcleo duro do Osteria Francescana, mas esteve connosco em nome do Il Postrivoro. O Enrico, incansável e paciente, respondeu a todas as nossas dúvidas, indicou-nos caminhos, partilhou connosco a sua paixão pela comida e o modo como a pensa. Ele foi a nossa maior inspiração, foi quem nos desafiou e motivou para fazer o Sangue.

Leo Carreira
Estudantes da EHTL
oana Moura e Sara Fernandes e

 

7 de Abril

 

8 de Abril

Chefs

  • Carlos Fernandes

    , Michelin

    Sou o mais novo dos convidados do Sangue na Guelra, trabalho em Tenerife, Espanha, no restaurante M.B. (Martin Berasategui), distinguido com duas estrelas Michelin. Estudei na Escola de Hotelaria e Turismo de Lisboa, trabalhei no Hotel Lapa Palace, parti para Espanha e estou desde 2012 nas Canárias. Recebi com surpresa o convite para fazer parte do Sangue na Guelra e prometo extravagância, técnica e arriscar com muitas ganas! Uma das minhas maiores inspirações é o Francisco Gomes, o convidado de pastelaria da segunda noite deste evento, estamos entre amigos, portanto.

Pratos

As maravilhas dos nossos chefs

Sangue na Guelra 2013

teve o patrocinio de

Prato01